NEREU MOURA COMEMORA INCLUSÃO DO OESTE E SUDOESTE NA FERROVIA NORTE-SUL

ferrovia norte sul corte

O deputado Nereu Moura, líder do PMDB na Assembleia, comemorou nesta segunda-feira (17) a inclusão das regiões Oeste e Sudoeste do Paraná, no novo traçado da ferrovia que vai ligar os dois extremos do Brasil. A estatal Valec divulgou no final de semana o mapa definitivo do trajeto da Ferrovia Norte-Sul, incluindo os municípios de Juranda, Ubiratã, Iguatu, Anahy, Corbélia, Cascavel, Catanduvas, Três Barras do Paraná, Quedas do Iguaçu, Cruzeiro do Iguaçu, Dois Vizinhos, São Jorge D’Oeste, São João, Verê, Itapejara D’Oeste, Bom Sucesso do Sul, Renascença e Vitorino.
“A inclusão do Paraná na Ferrovia Norte-Sul é uma grande vitória dos paranaenses e da economia do nosso Estado. O primeiro estudo, divulgado em 2012, havia retirado vários municípios daqui do percurso”, disse Nereu Moura. O deputado lembra que a mudança do traçado ocorreu após cobranças da sociedade organizada e lideranças políticas, junto com a bancada federal do Paraná, no Ministério dos Transportes.
Na avaliação de Nereu Moura, quem ganha num primeiro momento com a ferrovia são as empresas e indústrias instaladas ao longo do traçado. “Elas ganham muito em competitividade no cenário nacional e internacional, com a redução dos custos com frete até os grandes centros e ao porto para as exportações”, disse.
A ferrovia também irá impactar positivamente no barateamento de insumos agrícolas importados e matérias-primas que chegarão com mais facilidade até as indústrias paranaenses, acredita o parlamentar.
Além do Oeste e Sudoeste, o novo traçado da Ferrovia inclui os municípios de Santo Inácio, Colorado, Nossa Senhora das Graças, Lobato, Santa Fé, Ângulo, Iguaraçu, Maringá, Paiçandu, Floresta, Itambé, Engenheiro Beltrão, Quinta do Sol, Peabiru, Campo Mourão, Farol, Mamborê, Boa Esperança e Juranda.
Audiência
Nereu Lembra que o novo estudo divulgado pela Valec será debatido dia 21 de agosto (sexta-feira) em audiências públicas promovidas pela estatal em Curitiba, Florianópolis e Porto Alegre.
O traçado dessa etapa da obra tem o seu ponto inicial localizado no ramal de acesso ao pátio de cargas de Panorama (SP) e o final antes da ponte sobre o rio Uruguai, no município de Caibi (SC), totalizando 952,4 km de extensão. De lá, segue até o pátio de carga localizado no município de Rio Grande (RS) por mais 832,9 km.
O custo estimado de todo esse trecho é de R$ 21 bilhões, incluindo todas as obras e equipamentos ferroviários. A ferrovia, após concluída, cruzará o país de Belém do Pará até o Porto de Rio Grande, no Rio Grande Sul.