NOTÍCIAS

RELATOR DA REFORMA POLÍTICA PREVÊ R$ 3,5 BILHÕES PARA FINANCIAR ELEIÇÕES NO PRÓXIMO ANO

O deputado Vicente Candido apresentou, no dia 13 de julho, uma nova versão do seu relatório à comissão da reforma política com previsão de R$ 3,5 bilhões para financiar as eleições de 2018 e cerca de R$ 2 bilhões para as eleições seguintes. “O centro do debate é o financiamento público. E, por ser financiamento público, nós temos de tomar muito cuidado com o regramento. Nós temos de ter eleições enxutas”, disse Candido.

“VEMOS O RETORNO DE UM SISTEMA MEDIEVAL DE PERSECUÇÃO”, DIZ SENADOR REQUIÃO

Da importação da Teoria do Domínio de Fato no julgamento do “mensalão” às “modernas técnicas de análise de evidência” da força-tarefa da Lava Jato em Curitiba, baseadas em probabilidades, hipóteses e lógica abdutiva, o senador Roberto Requião, ex-governador do Paraná, há tempos denuncia as distorções causadas pela importação de teorias do Direito, em prejuízo da presunção da inocência e do direito à ampla defesa. Leia a matéria publicada na revista Carta Capital.

Estadual

SENADOR REQUIÃO É O ÚNICO “FICHA LIMPA” NA DISPUTA PELO GOVERNO DO PARANÁ

Logo após a divulgação da “Lista de Fachin, citando políticos de todos os matizes na Lava Jato, os apoiadores e simpatizantes do senador Roberto Requião divulgaram um post na internet que já viralizou. Na publicação vemos uma imagem do senador e o seguinte texto: “O único político paranaense que não está envolvido em corrupção, não foi citado na Lista de Janot, nem na Lava Jato, nem em escândalo algum!”- É Ficha Limpa! – Senador Roberto Requião

Parlamento

Municípios

Setoriais

Geral

REFORMA DA PREVIDÊNCIA SERÁ TEMA DE AUDIÊNCIA PÚBLICA, NESTA SEXTA-FEIRA (31), NA ASSEMBLEIA LEGISLATIVA

Uma Audiência Pública, que acontece nesta sexta-feira (31), às 9 horas, na Assembleia Legislativa do Paraná, vai debater a proposta de reforma da previdência que tramita na Câmara do Deputados por iniciativa do Governo Federal. Estarão presentes os senadores Roberto Requião, Álvaro Dias, Gleisi Hoffmann e Paulo Paim, além do ex-ministro da Previdência Social, Carlos Eduardo Gabas.